quinta-feira, 8 de setembro de 2016

Depois do desabafo... calmaria!

Bom dia!!!
Então, como falei no post anterior, precisava desabafar e foi demaissss!!!
Seria perfeito se todo mundo pudesse fazer um desabafo desses... Dá uma paz indescritível na alma. É como limpar as gavetas do armário: lembramos de algumas coisas, reciclamos o que ainda tem jeito e jogamos no lixo o que não tem mais conserto.
Mas... vencendo o desafio do sofrimento é hora de RECOMEÇAR. Tem vida seguindo e objetivos a serem alcançados, mesmo que a gente não tenha traçado meta nenhuma. Como eu falei anteriormente, eu fiquei sem chão, mas isso foi por um período curto de  tempo. Tudo o que eu tinha traçado pra minha vida era um conjunto: marido-filhos-trabalho-eu. Já não podia mais ser assim... Graças a forças superiores tenho filhos incríveis, de compreensão e entendimento da vida impressionantes, muita maturidade apesar de serem tão jovens!!! Espetacular! Desculpe-me o ataque de mãe coruja, mas tenho que admitir: fiz um bom trabalho ;)  Tá, vamos em frente. Quando a gente fica livre, não sabe muito bem o que fazer com essa tal liberdade e comete umas burradas. E a primeira coisa que me passou na cabeça foi buscar um novo relacionamento. Como não sou de baladas, nada de vida social na "Night", a ideia então é... amigos antigos? Fala sério... amores do passado é a maior furada. Já sei: sites de relacionamento!!! Outra besteira: adiciona os retard... ops! "Homens carinhosos e super dóceis, que só querem um relacionamento sério com uma pessoa que divida os mesmos objetivos, sincero e respeitador"... é o anúncio mais falsificado que os produtos da China!!! O papo deles na realidade é uma "festinha" no skype e... cadê o cara sincero, carinhoso e honesto??? Háháhá... Sem comentários. Sem falar naqueles que querem te aplicar golpes milionários e onde as mulheres carentes e supersensíveis - ou desavisadas - caem direto na boca do leão. Também apareceu um desses pra mim... Eu levei na brincadeira até que um dia ele me mandou um e-mail com a imagem da passagem comprada na Turquia e ia me conhecer no Brasil. Louco, né??? Aí fiquei preocupada: será que é real??? Tentei confirmação no site da companhia aérea e não existia nem aquele voo e nem o abusado que queria apenas que eu depositasse 30 mil dólares numa conta em um país do continente Africano e que me devolveria assim que chegasse no Brasil e conseguisse desbloquear a sua conta no Banco... Eu ri muito... Quem me dera ter três dólares, quanto mais trinta mil... Háháhá... Sem comentários/parte dois.
A solidão começa a bater e começa a aparecer cada possibilidade... Se a pessoa não tiver um foco, acaba com a primeira opção que aparece pela frente e...  você se ferra a história se repete outra vez.
Mas não desanime... não há mal que dure pra sempre e nem bem que nunca acabe!!! Tá... pode ser que o ditado não seja assim, mas vale. Quando a gente está fragilizada acaba achando que qualquer um serve, afinal depois dos 40 anos, cheia de filhos e falida... quem é que vai me querer??? Buuuuááááááááá... Mas não adianta chorar, tem é que virar a página! Tá bonita? É... tá. Tá com energia? Ah, sim... Então... Espera. Afinal... Esperança é a...  Base da nossa vida. Sem esperança a gente estaciona, não é momento pra isso. Mais um pouco de perseverança e um pouquinho de cuidado com a saúde,e claro que um pouquinho (bem grande) de autoestima nunca é demais. Bora continuar à procura da felicidade... ninguém nasceu pra ser infeliz!!! Continuei minha busca até estacionar num relacionamento virtual que me sugava e não agregava nada. Por isso que digo  que não pode estacionar... Há vampiros... sério!!!  Um dia resolvi colocar um tudo ou nada na relação e fiquei sem nada. Decidi que não valia a pena. Deixa ficar. Melhor ter amigos do que ter amor. Tenho que dizer que agora fico a pensar: Eu era burra ou estava cega??? Não precisava passar por isso depois de tanta dor... Mas como tudo é aprendizado... Em tão pouco tempo adquiri tanta bagagem...
Isso se passou em um ano. Tanta coisa... Descobri muito a respeito do ser humano. Aprendi muito sobre os homens... Mas não pense que a história acaba aqui. Por enquanto só descarregando os fardos.
A tempestade vai passar. E tem muita bonança vindo aí.
Abreijos, galera *-*

terça-feira, 6 de setembro de 2016

Leve como uma pluma ao vento... Desabafo



Falar de relacionamento parece que é modinha hoje em dia... Mas vamos combinar: faz um bem danado pra alma, né?
Bom... Como nem todo mundo me conhece eu vou contar  um pouquinho da minha história, sem muitos detalhes porque isso é pra nos deixar mais próximos e não contribuir para um dramalhão. Mas vai ser quase isso. Ainda podem mudar de assunto, que tal um blog de piadas??? Falando sério...
Me chamo Márcia. Fui casada por 20 anos e tive 4 filhos: duas princesas e dois príncipes lindíssimos. Fui madrasta...  Fui uma mãe severa em alguns casos e permissiva demais em outros.Tive sucesso. Tive falhas. Decidi desde muito cedo em minha vida que não seria uma "supermãe", daquelas super protetoras, em que o filho é a coisa mais importante desta vida. Não que eles não sejam a razão de nosso viver, mas eles terão suas próprias vidas e farão suas escolhas independente daquilo que sonhamos pra eles (aprendi isso na prática... mas eu já tinha uma pequena noção de que era isso que aconteceria). E isso foi bom porque me tornou uma mulher mais tranquila quando o ninho começou a esvaziar. Tive um casamento em que realizei muitos sonhos e tive muitas frustrações... Nem tudo é como a gente imagina, mas eu tentei colocar em prática muita teoria. Mas a realidade não é bem assim... Os dois têm que ter os mesmos objetivos, senão... vai tudo pro brejo. Nesse caso... afundou, sem possibilidade de resgate :'(
Quando meu casamento acabou senti o chão fugir dos meus pés :'(
Eu imaginava que seria pra sempre e vivi uma fantasia, acreditando que tudo o que acontecia era pra ser assim mesmo. Até que um dia eu acordei pra vida real. Comecei a questionar os motivos de ser tratada com insignificância e ser sempre a milésima opção do companheiro!? Até as peças do carro e as ferramentas de trabalho dele estavam acima da minha companhia... Será que eu era tão ruim assim???
Naaaa... Hora de dar uma guinada nessa vida! Tá achando que é mole ser sempre quem segura as pontas? Tá achando bom se sentir usada e receber o mínimo ou às vezes nada em troca? Cansei...
Descobri que tinha muito mais potencial do que imaginava... Uma coisa muito importante: descobri que era bonita (cada um vê a beleza do seu jeito... he. he...), já que a vida toda passei fugindo do espelho. E descobri que meu peso não era motivo pra me esconder e que meu cabelo tinha jeito sim...
Foi um ano de descobertas e mudanças radicais. O que eu sentia pela pessoa com quem convivia já não me permitia aceitar suas atitudes como normais, como dantes ocorria... Passei a desejar não tê-lo por perto. Sempre lhe sugeri que mudasse de atitude e me reconquistasse, mas ele optou por outro caminho. Decidi que não dava mais pra vivermos juntos e ele saiu de casa. Não foi uma boa ideia, pois eu sentia muita pena dele, sem lugar pra ficar e com poucos recursos. Então resolvi: ele voltava pra casa e eu saía. Porém, ele ficava com os filhos... e aí começa uma outra história. Se eu levasse os filhos comigo, sei que ele teria grandes motivos pra desandar, perder o rumo e acabar na sarjeta da vida. Quando tomei essa decisão me falaram pra não sair, não deixar os filhos, que ele é homem, se vira, etc... Mas eu o conhecia... E decidida, conversei com a prole e eles também acharam que eu estava certa, segui meu caminho. Esta foi uma fase difícil... Pensei que tudo iria voltar ao normal e desejava que ele me reconquistasse... mas não foi bem assim e a consequência disso foi o divórcio. Fiquei meio sem noção e desesperada. Sabem aquela história do luto? Não é que eu passei por isso também??? Morreu o amor... E eu passei 20 anos anulada... Me sentia um fracasso e só não afogava as mágoas na pinga porque não bebo álcool... Até água é difícil de beber... Enfim, eu sofria sim, a ausência daquela pessoa que eu havia conhecido e imaginava que ele podia voltar, mas quem acredita na mudança das pessoas é dono de transportadora (e embora eu não seja, ainda acredito! Em algumas... tá, poucas... muito poucas...) e tive de me conformar em ser sozinha e... RECOMEÇAR.
Mas como??? Eu saí das boas garras da minha mãe (controladora) para um casamento (leia-se "marido controlador") e agora estava como um passarinho criado em gaiola solto na natureza... Foi uma burrada atrás da outra... Essas prefiro esquecer... Agora sinto muuuuita vergonha, como cheguei a esse nível??? Mas ainda bem que existe o arrependimento e... é que nem maquiagem borrada: lava a cara, hidrata e tá pronta pra dormir. Mas quando a gente acorda a realidade tá aí... jogando tudo na nossa cara de novo. Aff... Mas estou viva e tenho que seguir a vida. O que eu não esperava é que a cada tentativa de encontrar um novo relacionamento, haveria interferência do antigo. Bahhh... Sabe aquela história do "não é minha, não vai ser de ninguém?" Pois é... Exposição desnecessária, difamação... Isso realmente cria um abalo na vida de uma mulher. A gente passa a pensar: Será que nunca mais poderei ser feliz? Será que isso nunca vai acabar? Eu ainda não sei as respostas, mas aviso quando as tiver. Antes de acabar, quero esclarecer que não escrevi tudo isso com o intuito de difamar o pai dos meus filhos, mas para desabafar e desentalar o que muita gente fica a especular sobre a nossa separação/divórcio, visto termos sido sempre um bom exemplo de casal e termos construído uma linda família e "do nada" tudo acabou.
Não significa que não deu certo, pois como disse a terapeuta: "se não tivesse dado certo não teria durado 20 anos". Acontece que numa relação 50% é sucesso ou fracasso de ambas as partes. Ninguém é 100%. É por isso que a expressão define bem a situação: casal, uma dupla, dois. Metade de cada um: eu faço a minha parte e o outro contribui com a dele. É assim que funciona. E FUNCIONA! Mas como já falei antes, os dois têm que ter o mesmo foco. Um só caminho, uma direção e um objetivo. Claro que cada um é um indivíduo, mas quando se compartilha algo é pra deixar o egoísmo de lado e pensar também no outro, no conjunto. Daqui pra frente os fragmentos de uma vida viram história e isso ninguém pode apagar.
A gente vai aprendendo. E crescendo.
Uauuuu... Já respiro mais suave. Me sinto leve.
"Abreijos" a quem teve a disposição de ler.
Grata por permitir meu desabafo.




quinta-feira, 12 de julho de 2012

Lindo Dia! Frio, Mas Lindo!
Meu mais novo Blog:  Agora o jeito é sempre aprender, porque...
APRENDER É TUDO DE BOM.
Sejam bem vindos!